House Church


Para onde iremos?

15-12-2011 06:39

Essa é uma pergunta quer não quer calar e requer a nossa reflexão, pois ela de certa forma fala das prioridades que estamos dando à nossa vida e que muitas vezes apontam para o caminho (direção) que estamos seguindo.

Essa pergunta não é nova, ela acompanha o humanidade desde muito tempo e trás consigo a necessidade de respostas sólidas ao desafios do dia-a-dia.

Enquanto caminhamos precisamos de direção, sentido e intensidade, é claro que não somos um vetor, mas se estamos dispostos a vencer a corrida da vida essas três características não essenciais na caminhada.

Nos confrontamos com a morte todos os dias, não somente a morte física, pois são tantas outras mortes que nos assolam.

Morte dos sonhos, morte da esperança, morte dos relacionamentos, morte dos sentimentos, morte dos ideais de vida, e tantas outras.

Para onde iremos, para quem iremos? Existe esperança para a humanidade?

Diante das pressões e tensões diárias, dos sofrimentos, dos medos e das paralisias que ele traz consigo, como poderemos tomar as melhores decisões da vida?

Certa vez diante da mensagem de Jesus – “Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tendes vida em vós mesmos(João 6:53), causou escândalo e indignação à multidão que o seguia.

Foi um discurso forte e duro, que deve ter soado para aquelas pessoas como um ensinamento difícil e incompreensível.

Quando lemos os relatos do Evangelho de João 6:41-71, percebemos que as palavras de Jesus causaram e causam o mesmo impacto ainda hoje aos corações dos que a ouvem.

A mensagem de Cristo fala de vida, comprometimento e intimidade.

Jesus não fica na superficialidade, ele quer entrar no mais íntimo de nosso ser e não aceita um relacionamento sem compromisso e superficial como muitos pensam e querem.

Eu julgo que no capítulo 6 de João encontra-se um dos versículos mais tristes que poderemos encontrar na Palavra de Deus: “À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele.” (Jo 6:66).

Haja vista que aquela multidão que corria atrás de Jesus não queria mais caminhar com ele e seguiu outro caminho.

Os que ficaram contemplaram esse momento triste de abandono e quando Jesus pergunta aos doze apóstolos se também queriam seguir o mesmo caminho da multidão que o abandonara, Pedro responde a pergunta que não quer calar: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna, e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus.” (Jo 6:68,69).

Não podemos descartar a ideia de que Pedro e os outros também estavam confusos, mas ele viram em Cristo era a melhor, verdadeira e única escolha.

Os murmuradores ainda existem, reclamam do casamento, dos filhos, das amizades, do emprego, da vida e até do próprio Deus, mas na verdade não priorizam nenhum deles. Nossas prioridades, queira você ou não, indicam para onde você está indo.

Quem sabe você está num dilema neste exato momento, não sabe o que fazer e como fazer. Já está sem esperança, com medo, cansaço.

O morte encontrou guarida em algumas áreas de sua vida.

Deus me motiva a dizer que Jesus é a ressurreição e a vida, ainda que esteja morto ele ressuscitará.

Eu creio que a pergunta: “Para onde iremos” já pode ser respondida.

Jesus tem as palavras de vida eterno

A decisão é pessoal e intransferível.

As vezes eu fico a pensar como Jesus vê aqueles que o abandonam diariamente, pois ninguém deseja mais do que Deus que todos sejam salvos.

 

Que essa mensagem sirva de reflexão sobre nossas prioridades diante de Deus

 

Pr Rubens Terra

—————

Voltar