House Church


Mobilização

09-06-2012 12:48

Já vimos tantas mobilizações, aqui em Brasília, em defesa de causas que realmente são relevantes a sociedade.

A questão que queremos tratar aqui é o que leva as pessoas a se mobilizarem por uma causa, que estimulo levam grupos sociais a participarem de uma atividade intitulada Marcha da Maconha.

Foi o que aconteceu na sexta-feira 25 de maio de 2012, para muitos foi motivo de espanto, para outros uma possibilidade de protesto e reinvidicação.

Na Esplanada dos Ministérios ecoou o grito de manifestantes pedindo pela legalização do uso da maconha, com o discurso que defende a legalização do uso da maconha, com o argumento de que a droga não causa nenhum mal as pessoas que a consomem (será?).

Sinceramente não creio que essas razões foram os motivadores dessa Marcha.

Acho que essas pessoas estão lendo muito revistas científicas que vez por outra fazem apologia ao uso da Maconha, onde há tudo de bom nela.

Tantas coisas para fazermos em prol da erradicação de qualquer tipo de vício e dependência na vida das pessoas; perde-se tempo numa mobilização para legalização do uso da maconha, uma droga de efeitos entorpecentes.

A igreja Cristã não pode concordar com esse tipo de manifestação, ainda que cada cidadão tenha o direito à liberdade de expressão.

O Evangelho de Jesus nos aponta para a vida e não para a morte. Qualquer tipo de vício, seja qual for, gera a morte.

O que essas pessoas querem com a legalização da DROGA?

Enquanto milhares de pessoas estão lutando contra o vício, pagando fortunas em clínicas de recuperação, outros tentando recuperar o que foi perdido devido às drogas (emprego, família, dignidade, honra...), paralelamente um grupo se mobiliza para legalização do uso de uma droga. Isso é incoerente!

A realidade é que nossa sociedade está cauterizada pela normose (tudo é normal), enquanto jovens, e adolescentes se afundam no álcool, mascarados por coquetéis de energéticos e em todo tipo de drogas. É o que temos constatado.

Pergunte para um pai ou mãe se quer ter um filho drogado? Dependente químico? Ninguém quer isso para a vida de um filho ou de qualquer outro familiar.

Eu convido, sim, a todos aqueles que fazem apologia a qualquer tipo de droga, a visitarem uma clinica de recuperação de drogados e perguntarem o que eles ganharam consumindo drogas. Nada! Só perderam.

Liberdade de Expressão, Sim!

A tudo aquilo que gera vida ao homem e não escravidão.

Como igreja nossa posição é contra ao uso e legalização da maconha. Não a “cannabis”!

Sim à vida!

Que Deus tenha misericórdia de nossas vidas.

 

—————

Voltar