House Church


Escolhas, Decisões e Obediência

24-01-2013 10:35

Há mais de 3500 anos o povo de Deus, a nação de Israel vivenciou um momento singular diante do Monte Sinai, onde a Palavra de Deus relata o convite feito por Deus ao Israel antigo. Momento onde Deus revela sua vontade em forma de código (Lei Mosaica).

Foi um momento que o povo tinha diante de si uma escolha: servirem ou não servirem a Deus. O povo precisou decidir e a resposta foi unânime: “tudo o que falou o Senhor, faremos e obedeceremos” (Exôdo 24:7b).

Não foi uma decisão imposta, mas de livre e espontânea vontade.

Na realidade nossa relação com Deus sempre estará diante de uma escolha que de certa forma expressa nossa vontade. Deus nos fez livres para escolher e decidir.

Jesus Cristo quando iniciou a pregação das Boas Novas do Reino de Deus nunca obrigou ninguém a participar nessa obra, sempre fazia um convite, público, amplo e aberto: Vem e segue-me. Um convite simples mas que implica escolhas

Diante do convite de Jesus é certo que muitos ouviram o seu chamado e aceitaram. Dessa forma passaram a caminhar com ele. É na caminhada que Jesus encontrou aqueles que iriam segui-lo.

Passado algum tempo alguns também decidiram por deixar de segui-lo (Lc10:1-9), outro decidiu traí-lo (Jo 6:66).

Passado mais um tempo, outros decidiram, pela pregação dos Apóstolos, se tornarem discípulos de Cristo.

Dizer que somos Cristãos deve passar por uma análise que envolve decisão, escolha e obediência.

Isso é muito sério, pois tem seus desdobramentos em nossas vidas.

Se formos buscar um conceito para obediência, certamente diremos que obedecer é submeter-se a vontade do outro.

Isso demonstra que num ato de obediência relaciona uma vontade, o reconhecimento da vontade e o comprometimento com essa vontade.

Diante desse breve contexto, sem dúvida nenhuma, podemos afirmar que a grande maioria dos que se dizem Cristãos deixam muito a desejar.

É inaceitável dizer que se é Cristão e não seguir a Cristo. Deve existir coerência diante daquilo que dizemos que somos e aquilo que vivemos na prática. Não existe cristianismo teórico, devemos sim, encarar sempre nossa realidade de fé.

Que tipo de cristão podemos encontrar em nossos dias? O que vemos em nosso mundo pós-moderno como cristianismo?

São apenas duas perguntas que devem nos levar a pensar o que decidimos ser quando dissemos “sim” para Jesus.

Tudo o que fala e escrevo sempre estão diante de fatos perfeitamente observáveis, ainda que muitos tentem dar suas justificativas.

Grande parte daquilo que está sendo feito no meio Cristão hoje, é obra morta.

Se Deus fosse submeter tudo o que temos visto ser feito (técnicas de marketing, técnicas para mobilizar pessoas pelo entretenimento, shows, venda de produtos) e tantas outras, uma boa parte disso tudo e que muitos admiram viraria fumaça.

A questão é saber onde está a realidade espiritual em tudo isso, diante de tudo isso.

O Senhor Deus não quer que sejamos incansáveis fazendo o que achamos que bom para ele, independente dos meios utilizados.

Pelo contrário ele quer que façamos exatamente o que Ele nos determinou a fazer através de sua Palavra.

Você sabe onde está o segredo?

Não está em programas dinâmicos ou técnicas de indução, nem em sacrifícios, nem nos entretenimentos gospel, nem nas campanhas com slogans triunfalistas, ou no know-how que diz que alguma prática dá sempre certo.

O segredo esta em: Você precisa tomar uma decisão.

E a decisão é: Deixe Jesus tomar o controle de tudo e busque a Deus através de Cristo e nunca por si mesmo ou por obras da carne.

Que possamos dizer verdadeiramente: “Cristo vive em mim”

Isso é decisão! Então, escolha o que é essencial para vida.

 

Pr Rubens Terra

—————

Voltar