House Church


Encarando a tristeza

09-05-2012 07:18

As estatísticas dizem que uma a cada 20 pessoas sofrem constantemente de depressão.

É uma doença que não avisa quando chega, não tem respeito por ninguém, seja rico, pobre, intelectual ou analfabeto.

Ainda que seja um assunto pouco falado no meio cristão, não é meu objetivo falar sobre os tipos de depressão, pois não tenho tal competência, mas gostaria de falar de um tipo que vez por outra nos atinge que chamamos de “tristeza” ou como muitos dizem ficar por baixo.

Primeiro ponto que gostaria de colocar é que o cristão não está imune a esse sentimento, pois de outra forma não seríamos humanos (gente) se às vezes não nos sentíssemos oprimidos pelas circunstâncias da vida.

A questão para o cristão não está em sentir-se triste ou não, mas está na maneira que o Cristão deve se portar diante dela.

Por que falo isso! Pois ouço vez por outra alguns religiosos afirmarem que cristão não se deprime e que isso é coisa do diabo.

É! Só que não é o que nos vemos em nosso dia-a-dia na vida das pessoas tementes a Deus e como também a Palavra de Deus nos mostra em vários textos essa fragilidade humana. Olhe para si e verás que não estou falando nenhuma inverdade, a vida é real para todos.

Encontramos na Bíblia homens como Jeremias, Elias, Jó, Davi que passaram por experiências e momentos de tristezas, abatimentos e terrível desânimo em suas vidas e venceram. Graças a Deus nos temos bons referenciais e exemplos que nos ensinam como vencer tais momentos.

Eu digo que a depressão não é somente coisa dentre as astutas ciladas do diabo, pois sabemos que ele também tem a sua parte, mas digo que é coisa da vida agregada a tantas coisas de nossa realidade (dúvidas, medos, insatisfações, necessidades, privações, incapacidade, doença...) e que devem ser encaradas a luz da Palavra de Deus.

Pense comigo sobre algumas questões: Você se sente triste às vezes? Você tem vontade de sumir se isolar de tudo e de todos? Você tem vontade de chutar o balde? (no sentindo de não querer mais). Todos passamos por esse momentos e por nos sentirmos assim, deixamos de temer a Deus e confiar nele? É claro que não! Deus continua conosco a nos ensinar a caminhar com ele no meio das tribulações.

Talvez, como já citei, muitos possam dizer que essas questões não fazem parte da vida do Cristão. Só que não é o que vemos acontecer, pois nesse exato momento pessoas tementes a Deus e fieis estão passando por esse tipo de tribulação. Com perguntas que parecem não terem respostas, mas que precisam ser respondidas.

Quando nós vamos aos textos bíblicos encontramos muitos textos que relatam momentos de terrível angústia e tristeza por parte de servos de Deus.

O Salmo 42 é um deles e revela o sentimento do Salmista: Por que estás abatida ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim?

Veja que esse momento vivido pelo salmista não é uma experiência única, o Evangelho de Marcos também relata nas palavras do próprio Cristo tal sentimento: “A minha alma está profundamente triste (Mc. 14:34a).

Então porque que quando esses sentimentos de tristeza nos abatem nos sentimos cristãos anormais, fracos, descrentes, caídos?

Será que não é a maneira que nos ensinaram a reagir diante de tais circunstâncias?

O certo é que não podemos nos conformar com o sentimento de abatimento e de tristeza.

É preciso reação. Nosso foco, não é olharmos para tristeza, para os problemas, para o passado, mas sim olharmos para o alto, de onde vem o nosso socorro e o nosso auxílio. O Senhor Deus é o nosso socorro bem presente e se nele confiarmos, veremos a vitória e teremos muitos motivos para glorificar o seu nome.

Isso é o que a Palavra de Deus nos ensina.

Então, se você se sentir triste ou está neste momento triste, não se sinta um cristão anormal, não permita em sua vida a baixa-autoestima, olhe para Deus, não espere das pessoas aquilo que nem a gente consegue fazer.

Espere somente em Deus, pois nosso auxílio não vem de homens, mas de Deus aquele que tudo pode e nos dá vida e vida em abundancia.

Rubens F. C. Terra

Servo do Senhor

—————

Voltar