House Church


Amor! Será que sabemos o que é?

28-07-2012 15:13

Creio que escrever sobre o amor é um desafio para qualquer um que se habilite a essa tarefa.

Vejo que a primeira dificuldade que encontramos para expressar esse sentimento através de palavras é que as palavras são limitadas para descrever o que é o amor.

Como diz um velho ditado – “O amor não foi feito para ser compreendido e sim para ser sentido”. Dessa forma podemos dizer que o amor deve ser expresso não pela lógica, mas pela alma.

A palavra amor apresenta-se multifacetada devido aos seus múltiplos significados na língua portuguesa. Podendo agregar significados como: paixão, desejo, querer bem, conquista afeição, compaixão, misericórdia.

Poderia entrar no campo filosófico para buscar maiores explicações e enriquecer os significados do amor, mas esse não é objetivo principal dessa reflexão.

Gostaria de pensar um pouco sobre o amor que conhecemos e até experimentamos.

Quando começamos a amar e porque amamos?

Para responder essa pergunta devemos entender que o amor para os humanos começa como resposta, ou seja, só respondemos ao amor a nós demonstrado. Demonstrações de afeto como carinho, abraço, beijos nos induzem a uma ação reflexiva e reagimos a essas demonstrações. É por isso que temos tanta dificuldade em amar a quem não nos ama e nos persegue.

Isso quer dizer que conhecemos o amor baseado na troca, que somente se sustem se houver uma resposta a esse amor. Amor condicional que poucos querem falar sobre, esse é o amor que homem conhece.

Jesus veio ao mundo para nos mostrar o que seria o verdadeiro amor, amor incondicional, que ama sem medidas, sem paralelos, amor puro, sem mácula, que ama mesmo sem ser notado, que perdoa diante da falta mais grave e que se doa.

Que amor é esse! Que tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, que é paciente, benigno; que não arde em ciúmes, que não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, que não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade. Amor que jamais acaba.

Quando olhamos para esse padrão de amor estabelecido pelo apóstolo Paulo aos Corintios parece verdadeiramente que estamos diante de uma utopia e ao mesmo tempo um desafio para aqueles que se habilitam a dizer quem amam.

A Palavra de Deus nos diz que Deus é amor, que Ele nos amou primeiro, assim nosso amor é uma resposta ao próprio amor por ele demonstrado na pessoa de Jesus Cristo.

Que Deus transforme nosso coração dia-a-dia e nos ensine a amar como ele nos ama.

Pr Rubens Terra

—————

Voltar