House Church


A Caminhada para Emaús - Lc 24:13-33

22-10-2010 00:11

                     A caminhada para Emaús, nos trás grandes ensinamentos, onde Cristo compartilha com aqueles discípulos momentos de profundo sofrimento e desolação.

               Aprendemos que se temos a possibilidade de consolar o aflito, ela resulta da lembrança daquilo que também sofremos um dia, nisso reside nosso poder de compaixão.

               O amor ao nosso irmão começa quando aprendemos escutá-lo. (DIETRICH, 2009, p.85.)

               Na passagem de Emaús, Jesus preocupou-se em escutar aqueles discípulos, mesmos tendo ciência de tudo, Ele demonstrou a preocupação em ouvir.

               Diante dessa observação podemos entender que Deus não nos deu somente a sua Palavra, mas seus ouvidos que estão sempre atentos a ouvir nosso clamor.

               Ao se aproximar Jesus teve a preocupação de gradativamente obter a confiança daqueles homens, a narrativa não diz que estavam desesperados, mas tristes e conversando, talvez buscando consolar um ao outro à medida que caminhavam.

               Jesus quando se aproxima parece que está alheio aos últimos acontecimentos e é entendido até como um forasteiro.

               Jesus percebe que naquele momento aqueles homens não enxergavam nada, mas ele dá espaço para que eles pudessem colocar seus sentimentos para fora.

               O ponto de partida de Jesus é o que aqueles homens sentiam, Jesus começa o diálogo pelas suas realidades e os motiva a falarem a partir de suas realidades e relações.

               Podemos ver que não foram apenas as palavras de Jesus, foram os gestos e o desejo de compartilhar que fizeram aqueles homens reconhecerem a Cristo.

               Depois que aqueles discípulos abriram seus olhos Jesus desapareceu, não criou dependência e agora eles saberiam como andar cheios de fé e esperança.

               Nos exemplos de Jesus encontramos ensinamentos de como a comunidade cristã deve utilizar o visitar, o servir, o ouvir, o consolar, o buscar e o comunicar como instrumentos para edificação da comunidade.

Pr Rubens Fernando Corrêa Terra

—————

Voltar